O Supremo remeteu novamente as duas queixas para o Tribunal Superior (equivalente em Portugal à Primeira Instância).