Uma das mais conhecidas clínicas do Reino Unido, sobretudo na área da saúde sexual e reprodutiva, revelou por erro um boletim informativo onde revelava os nomes de 780 pessoas diagnosticadas com VIH na instituição.
 
De acordo com o jornal britânico “The Guardian”, a 56 Dean Street Clinic, no bairro londrino de Soho, enviou o boletim aos utentes que subscreveram os serviços online, e que incluem marcar consultas através da internet ou receber por email os resultados de exames.
 
Horas depois de a informação ter seguido, a clínica londrina, que é gerida por um consórcio formado pelos hospitais públicos de Chelsea e Westminster pediu desculpa a todos os afetados e anunciou que abriu uma investigação para esclarecer o ocorrido, já que se trata de uma "violação da privacidade.” 
 
 Eliiot Herman, de 38 anos, é um dos utentes da 56 Dean Street Clinic que disse ao The Guardian ter ficado a saber pelo email que tem amigos com VIH, e que até ali nunca o tinham revelado. Foi um dos que já apresentou queixa junto do serviço nacional de saúde britânico.
 

"Há vários nomes que reconheço na lista e enquanto eu estou, obviamente, a ser discreto, não tenho a certeza se confio em todas as outras pessoas que receberam os nomes para fazerem o mesmo", explicou.


"Sinto-me mal a apresentar esta reclamação, porque tenho muito respeito e admiração pelo excelente serviço oferecido pela clínica e pelo meu médico, Alan McOwan, que sempre me prestou cuidados de saúde soberbos. Nunca tive razão de queixa. Mas julgo que isto é suficientemente relevante para merecer atenção das autoridades", resumiu.
 
O próprio Alan McOwan dirigiu aos utentes um email em que lamentou o sucedido com o boletim  "habitualmente enviado para indivíduos ou numa base individual".

"Infelizmente, enviámo-la para um grupo de endereços de email. Pedimos desculpa pelo erro. Tentámos recuperar e apagar o email assim que percebemos o que aconteceu. Se ainda está na sua caixa de entrada, por favor, apague-o imediatamente. Claramente, isto é inaceitável. Estamos a investigar de forma urgente como pôde acontecer e garanto que tomaremos medidas para assegurar que não irá repetir-se. Enviaremos o resultado da investigação", escreveu.
 
Um porta-voz da clínica já veio dizer que a informação foi revelada por "erro humano", da responsabilidade de um funcionário que estaria "perturbado". Pela divulgação dos dados, a clínica incorre numa coima que poderá ir até às 500 mil libras, cerca de 700 mil euros.