Sexta-feira, 24 de junho de 2016. Fica para a História, já se sabe, como o dia em que o Reino Unido votou a favor da saída da União Europeia (UE). Mas do outro lado do referendo, uma grande fatia dos eleitores britânicos escolheu ficar. Entre eles, houve quem começasse a procurar alternativas para continuar a usufruir do projeto europeu.

A Irlanda, estado soberano a oeste do Reino Unido, antecipou-se a oferecer uma ajuda logo após serem conhecidos os resultados das votações. Na página de Twitter verificada do Serviço de Passaportes (integrado no Ministério dos Negócios Estrangeiros e do Comércio irlandês), surgiu a pergunta que poderia ter, ao mesmo tempo, a solução para o problema de muitos. "Tem perguntas relacionadas com passaportes ou cidadania depois das votações do brexit?"

E os britânicos responderam esta semana. Os postos de correio irlandeses ficaram sem formulários de pedidos e a embaixada da Irlanda em Londres registou 4 mil inquéritos sobre a obtenção de passaportes no início da semana, comparativamente aos habituais 200 diários. Os números trocaram as contas ao governo irlandês que estimava receber apenas 4 mil pedidos de passaporte vindos de cidadãos britânicos este ano. A inesperada tendência levou o executivo da Irlanda a reagir. 

Charlie Flanagan, ministro dos Negócios Estrangeiros e do Comércio, descreveu o aumento como "uma vaga desnecessária de pedidos de passaportes irlandeses que irão colocar pressão significativa no sistema". Quando se dirigiu ao parlamento, esta segunda-feira, acrescentou que apesar do resultado do referendo, as "negociações para a saída britânica" irão demorar a ser concluídas. Como tal, neste período, "o Reino Unido continua a ser membro da União Europeia, os seus cidadãos continuam a usufruir plenamente dos direitos da UE", lembrou. Por isso, não existe qualquer urgência "para os cidadãos do Reino Unido, que também podem ser cidadãos irlandeses, em pedir o passaporte irlandês neste momento", sentenciou Flanagan.

Apesar de tudo, multiplicaram-se as publicações de agradecimento por parte de britânicos na página Twitter do Serviço de Passaporte irlandês.

Atualmente, há seis milhões de britânicos que podem pedir a nacionalidade irlandesa. A tendência verificada no caso da Irlanda também pode reproduzir-se noutros estados-membros da UE. Espanha é o país que acolhe mais cidadãos do Reino Unido, seguido precisamente da Irlanda, França, Alemanha e Itália.