Elisa Bianco, de 22 anos, fingiu sofrer de cancro perante um professora de Cornwall College, no Reino Unido, de modo a levá-la a gastar as suas economias para concretizar todos os (últimos) desejos da jovem. Mas, para além disso,  Elisa Bianco conseguiu que Sally Retallack, de 49 anos, perdesse o emprego e até acabou com o seu casamento.

Um caso “extraordinário” – como declarou o juiz – de stalking (perseguição), que coloca Elisa Bianco atrás das grades durante dois anos e oito meses.
 
Elisa Bianco conquistou a compaixão da professora ao anunciar-lhe que tinha um tumor maligno e que lhe restavam três meses de vida. A jovem disse ainda que tinha sido abusada pelos pais.

Sally Retallack, mãe de quatro filhos, emocionou-se com a história de vida da aluna e quis dar a essa vida difícil um final mais feliz. Para tal, deixou o emprego para levar Elisa Bianco todos os dias ao hospital, onde a jovem passava o tempo no café, de pijama. Sally Retallack gastou, também, mais de duas mil libras (quase três mil euros) a tentar satisfazer os desejos da jovem mulher.

O altruísmo de Sally Retallack contrasta com o calculismo de Elisa Bianco. O tribunal de Truro Crown disse que Elisa Bianco “manipulou as emoções” da docente, exigindo constante atenção e criando um fosso entre a professora e a sua família, levando ao fim do casamento da docente.  

Dois anos e oito meses de prisão foi a sentença que o juiz Christopher Harvey Clark ditou a Elisa Bianco, protagonista deste “caso estranho e perturbador", cita o Independent.