O embaixador de Portugal em Espanha, Francisco Ribeiro de Menezes, entregou esta quinta-feira as cartas credenciais ao Rei de Espanha, numa cerimónia protocolar marcada por uma pausa para um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado de Paris.

Ao final da manhã e início da tarde desta quinta-feira Felipe VI recebeu no Palácio Real seis novos embaixadores, entre os quais o de Portugal, para a protocolar entrega das cartas credenciais.

No entanto, o rei tinha acabado de reunir-se com o embaixador do Egipto, Ahmed Shafik Ismail Abdelmoeti, quando aproveitou uma pausa na cerimónia para, às 12:00 (11:00 em Lisboa), juntar-se ao ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, José Manuel García-Margallo, e o chefe da casa real espanhola, Jaime Alfonsín, numa homenagem às vítimas de Paris.

Na manhã de quarta-feira, três homens vestidos de preto, encapuzados e armados atacaram a sede do jornal «Charlie Hebdo», no centro de Paris, provocando 12 mortos (10 vítimas mortais entre jornalistas e cartoonistas e dois polícias) e 11 feridos, quatro dos quais em estado grave.

Cumprida a homenagem, o rei recebeu depois o representante diplomático da Irlanda, David John Cooney, a húngara Enikö Györi, o embaixador português, Francisco Ribeiro de Menezes, e o embaixador da China, Lyu Fan. A primeira embaixadora a ser recebida esta quinta-feira foi a representante diplomática do Panamá, María Mercedes de la Guardia Corró.

Esta foi a terceira ceremónia de cartas credenciais no reinado de Felipe VI. A 17 de julho, o rei de Espanha recebeu os representantes diplomáticos do Chile, Coreia do Norte, Irão, Paquistão, Moçambique e Uganda. A 6 de outubro tinha sido a vez dos embaixadores da Alemanha, Bélgica, Japão, Índia, Paraguai, Estónia, Turquia e Arménia.