Pelas fotografias, o tempo parece não ter passado por Michael J. Fox. O mesmo penteado, o mesmo rosto de menino, mas a vida deste homem não tem sido fácil. Michael J. Fox sofre de Parkinson.

O futuro, afinal, escreve-se hoje. Marty McFly aterrava em 21 de outubro de 2015, 30 anos para a frente no tempo.  Na versão imaginada por Robert Zemeckis e Bob Gale, o futuro – nosso presente – tinha carros voadores. Michael J. Fox volta a vestir a pele de Marty McFly para imaginar como será a vida a 21 de outubro de 2045, numa  carta aberta divulgada pela Casa Branca.


 

Em 2045, “juntos faremos das doenças neurológicas uma coisa do passado”, escreve Michael J. Fox.


O ator criou uma fundação com o seu nome dedicada à investigação da doença de Parkinson. Michael J. Fox acredita que, daqui a 30 anos, haverá cura para esta doença descoberta há cerca de 200 anos pelo médico James Parkinson.

Os avanços conseguidos nos últimos 15 anos levam-no a apostar que nos próximos 30 novas vitórias surgirão. Um trabalho só conseguido graças ao empenho de cientistas brilhantes e da persistência de doentes e familiares, que têm avivado a esperança e contribuído financeiramente para a investigação, reconhece o ator.

 

Foto:Lusa


Parkinson é uma doença crónica que afeta o sistema motor, provocando “tremores, rigidez, lentificação dos movimentos corporais, instabilidade postural e alterações da marcha. A doença surge quando as células nervosas de uma determinada região cerebral, denominada substância negra, morrem, sendo que, quando surgem os primeiros sintomas, já há perda de 70 a 80% destas células”, de acordo com a explicação da Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson.

Daqui a 30 anos veremos quais serão as novidades que o futuro nos traz. “Juntos faremos das doenças neurológicas uma coisa do passado. E se, eventualmente, tivermos skates voadores, será um bónus”, conclui Michael J. Fox. Talvez no futuro se escreva que nenhum Marty McFly sofre de Parkinson.