A Suécia vai restabelecer o controlo provisório das fronteiras a partir de quinta-feira por causa da situação criada com a chegada de refugiados nos últimos meses, anunciou esta quarta-feira o Governo de Estocolmo.

A medida, que vai estar em vigor durante dez dias, obedece a uma petição da Direção-Geral de Migrações, explicou em conferência de imprensa, em Estocolmo, o ministro do Interior, Anders Ygeman.

“As migrações (direção-geral) estão a sofrer uma grande pressão”.


Segundo o ministro, o fluxo ininterrupto de migrantes e refugiados está a "ameaçar a ordem pública" e as  as ruas estão cheias de centenas ou até de milhares de migrantes sem abrigo e de crianças desacompanhadas que desaparecem na natureza antes de serem recolhidas.

"Está a chegar à Suécia um número recorde de refugiados. O Gabinete para as Migrações está sob uma forte pressão e a polícia considera que existe uma ameaça contra a ordem pública. Vamos por isso restabelecer os controlos nas nossas fronteiras nacionais amanhã, às 12:00 (11:00 GMT) por um período de 10 dias".

A Suécia desiste assim, pelo menos por 10 dias, da sua política habitual de portas abertas a outras nacionalidades, juntando-se a países como a Eslovénia.