Mais de 100.000 refugiados e migrantes chegaram à Europa através do Mediterrâneo desde janeiro e 413 morreram a tentá-lo, anunciou a Organização Internacional para as Migrações (OIM), nesta terça-feira.

Desde 1 de janeiro, 102.000 pessoas chegaram à Grécia e 7.507 a Itália, precisou a organização.

“Atingimos este número em dois meses”, disse um porta-voz da OIM, Itayi Viriri, sublinhando que, em 2015, a marca dos 100.000 só foi atingida em junho.

Só neste mês chegaram à Grécia mais de 35.000 refugiados e migrantes, a maioria sírios (48%). Seguem-se Afeganistão (25%), Iraque (17%), Irão (3%) e Paquistão (2%). Os restantes 5% provêm de Marrocos, Bangladesh e Somália, entre outros países.

A maioria dos que chegam a Itália é proveniente de África - Marrocos, Guiné-Conacri, Senegal, Gâmbia, Nigéria ou Somália.