O Governo de transição da Guiné-Bissau promete publicar na segunda-feira o relatório da comissão de inquérito aos incidentes com o avião da TAP forçado a transportar para Lisboa 74 sírios com passaportes falsos, disse o ministro da Justiça, Saido Baldé.

Presidente da comissão de inquérito ao incidente registado no dia 10 deste mês, Saido Baldé deu estas indicações aos jornalistas no final da segunda reunião extraordinária do conselho de ministros convocada para sexta-feira e hoje para analisar o caso com a TAP.

Saido Baldé não quis avançar com os elementos que constam no relatório, mas prometeu que na segunda-feira às 11:00 o documento será tornado público no ministério da Justiça.

Na reunião deste sábado estiveram presentes vários ministros, entre os quais Delfim da Silva, ministro demissionário da pasta dos Negócios Estrangeiros.

O ministro demissionário do Interior, António Suca Ntchama, que esteve presente na reunião do conselho de ministros de sexta-feira, hoje não tomou parte no encontro.

Falando aos jornalistas no final da reunião de sexta-feira, Saido Baldé, afirmou que o Governo vai tirar ilações políticas e adotar medidas disciplinares contra os implicados no caso mas também irá remeter as conclusões do inquérito ao ministério público para que tome medidas judiciais.

Um homem de 51 anos, guineense e empresário, está detido apontado como sendo alguém que facilitou a vinda dos 74 sírios de Marrocos até Bissau de onde foram embarcados à força num voo da TAP para Lisboa onde pediram asilo político às autoridades portuguesas, noticia a Lusa.