Um naufrágio no mar Egeu fez pelo menos 34 mortos, esta terça-feira. Entre as vítimas estão três crianças, segundo informaram as autoridades turcas.

Os corpos foram encontrados em duas localidades costeiras da Turquia: 24 na zona de Ayvalik e dez em Dikili.

Tudo indica que as vítimas estavam num barco que tentava chegar até à ilha grega de Lesbos, quando o mesmo se afundou.

Um oficial da guarda-costeira turca, citado pela agência de notícias Reuters, afirmou que três barcos e um helicóptero estão a realizar buscas para encontrar sobreviventes.

Uma testemunha no local afirmou à agência Reuters que um barco terá ido contra as rochas e que as pessoas terão morrido quando tentavam nadar até à costa.

"Ouvimos que um barco se afundou e embateu contra as rochas. Suponho que estas pessoas terão morrido quando tentavam nadar a partir das rochas. Viemos ajudar como cidadãos", declarou a mesma fonte.


O fluxo de refugiados na Europa tomou proporções verdadeiramente trágicas no ano passado.

A maioria dos migrantes, oriunda de países em guerra como a Síria, chega ao velho continente em barcos que não oferecem quaisquer condições de segurança.

Cerca de três mil pessoas morreram em naufrágios em 2015. Este ano, a primeira vítima, logo no dia 1 de janeiro, foi uma criança síria de apenas dois anos.