A ministra norueguesa da Migração e Integração quis viver a experiência por que passam os milhares de pessoas que tentam atravessar o mar para chegar à Europa. Para isso, Sylvi Listhaug visitou uma embarcação da Noruega que está a resgatar migrantes junto à costa de Lesbos, na Grécia. Equipada com um fato de sobrevivência, a governante simulou a experiência e acabou por ser muito criticada e ridicularizada nas redes sociais.

Rodeada de todas as medidas de segurança, Sylvi Listhaug esteve nas águas que banham a Grécia durante alguns minutos até ser resgatada pela equipa que acompanhava a operação.

A ideia era saber como é ser um refugiado à deriva no Mediterrâneo.

"Não nos podemos colocar na mesma situação dos refugiados, mas podemos ter a perspetiva de como é estar na água daquela forma", disse a ministra à NTB.

 

Sylvi Listhaug admitiu que "eles [os refugiados] não têm um fato de sobrevivência, por isso não se pode comparar". 

Ministra norueguesa Sylvi Listhaug nas águas ao largo de Lesbos equipada com fato de sobrevivência

De acordo com o jornal britânico The Telegraph, a explicação da ministra norueguesa não evitou que fosse muito criticada nas redes sociais.

Sylvi Listhaug recebeu todo o tipo de sugestões: "Que tal abrires a janela para saberes como é ser um sem-abrigo?"; "Na próxima semana: Sylvi Listhaug vai experimentar como é ser cega fechando os olhos"; "Hoje vou sentar-me numa cadeira por cinco minutos para saber como é estar paralisada", são alguns dos post e tweets que visam a ministra.

 

 

 

A ministra explicou que quis prestar uma homenagem à equipa de noruegueses que se encontra na Grécia a participar em operações de resgate.

Em dezembro de 2015, Sylvi Listhaug foi criticada por ter evocado Jesus Cristo para justificar por que motivo a Noruega não deveria aceitar tantos refugiados.