A UE vai pedir a ajuda da Turquia e apoiar a Grécia para que estes dois países ajudem Bruxelas na gestão da crise migratória, com o encerramento definitivo da "rota dos Balcãs", na cimeira desta segunda-feira.

"O fluxo de migrantes irregulares ao longo dos Balcãs ocidentais chega ao fim. Esta rota está, a partir de agora, fechada", de acordo com o projeto de declaração final desta cimeira extraordinária da UE, citado pela agência noticiosa France Presse (AFP).

Os 28 dirigentes europeus vão manter um almoço de trabalho com o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, numa altura em que a chegada de 1,25 milhões de requerentes de asilo divide como nunca o bloco europeu.

Este domingo, dezenas de migrantes morreram no naufrágio de uma embarcação ao largo da costa da Turquia, indicou a agência noticiosa turca Anatólia. A Guarda Costeira turca, acrescenta a agência, conseguiu resgatar com vida outros 15 migrantes que se encontravam a bordo da embarcação, que tinha como destino a Grécia, ao largo da estância balnear de Didim, no sudoeste da Turquia.

A deputada do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, acusou, este domingo, a União Europeia de estar a piorar a crise dos refugiados e dos migrantes ao dar apoio financeiro à Turquia.