A agência das Nações Unidas para as Migrações (OIM) revela esta sexta-feira haver indícios de que, pelo menos, 90 pessoas terão morrido afogadas quando tentavam atravessar da costa da Líbia, no norte de África, para a Europa.

Olivia Headon, porta-voz do organismo da ONU, comunicou a partir da Tunísia que, pelas informações recolhidas, o barco em que seguiam ter-se-á virado.

Dez cadáveres deram à costa, perto da localidade de Zuwara, na Líbia. Serão oito paquistaneses e dois líbios.

Dois refugiados terão conseguido salvar-se, nadando até à praia, na Líbia, e um outro terá sido resgatado.

A OIM está a tentar ter mais detalhes sobre esta tragédia, para ver a melhor maneira de ajudar os sobreviventes", afirmou Olivia Headon aos meios de comunicação.

A responsável admite que a maioria destes refugiados naufragados seria originária do Paquistão.

Num balanço feito anteriormente pela OIM, desde o início do ano até 17 de janeiro, 199 pessoas morreram no Mediterrâneo, na tentativa de alcançar  a Europa, algo que foi conseguido por 2.583 pessoas.