Os ataques a estrangeiros em Colónia, Alemanha, no domingo, foram coordenados através das redes sociais a partir de apelos de apoiantes da extrema-direita para “passeios” no centro da cidade, disse a polícia local, nesta segunda-feira.

Os apelos, explicou um porta-voz das autoridades, foram feitos com o propósito expresso de “atacar pessoas não alemãs”.

Doze homens - sírios, paquistaneses e africanos - foram vítimas de vários ataques em Colónia, onde na noite de passagem de ano centenas de mulheres foram atacadas e sexualmente agredidas por um grande grupo de homens, muitos dos quais de origem estrangeira.

No sábado, a polícia alemã usou gás lacrimogéneo e canhões de água para dispersar uma concentração de militantes do movimento xenófobo PEGIDA na cidade. 

Em causa está a reação aos ataques do fim de ano. 

A polícia de Colónia anunciou, também no sábado, que o número de casos de violência ocorridos durante as festividades de Ano Novo atingiram 379 e que a maioria dos suspeitos tinha pedido asilo político ou são imigrantes ilegais.