A tragédia dos milhares de migrantes que tentam chegar à Europa parece ter encontrado a sua imagem icónica. Pelo menos mais uma entre as dezenas que todos os dias são enviadas pelas agências de notícias e partilhadas nas redes sociais. A imagem chocante desta quarta-feira mostra um rapaz sírio já sem vida à beira-mar de uma praia na Turquia.

A criança síria foi uma das vítimas do naufrágio que tirou a vida a pelo menos 12 refugiados que tentavam chegar à ilha grega de Kos. O acidente ocorreu depois de dois barcos com 23 pessoas a bordo terem partido de Akyarlar, na costa da Turquia. Segundo afirmaram as autoridades gregas, o rapaz fazia parte de mais um grupo de refugiados que partiu em fuga do Estado Islâmico.  



O corpo do rapaz, vestido com uma t-shirt vermelha e uns calções, foi encontrado na manhã desta quarta-feira numa praia perto do porto da Península de Bodrum, uma estância turística com vários resorts. Em mais um naufrágio às portas da Europa, perderam ainda a vida cinco crianças e uma mulher. Sete conseguiram ser resgatados e dois, que vestiam coletes salva-vidas, conseguiram alcançar a costa. Há ainda desaparecidos por resgatar.

As imagens do rapaz sem vida à beira-mar retratam o drama dos migrantes e refugiados que todos os dias é notícia. A fotografia simbólica do sofrimento de famílias inteiras que tentam chegar à Europa tornou-se viral em poucas horas. No Twitter é já a foto mais partilhada desta quarta-feira juntamente com a hashtag #KiyiyaVuranInsanlik: “naufrágio da humanidade”.
 
Nas milhares de partilhas na rede social seguem-se os apelos para que a Europa tome medidas contra a crise de refugiados. Entre os tweets e retweets, o simbolismo da fotografia ganha força com a partilha de imagens alteradas com um filtro de pintura.
As vítimas desta quarta-feira estão entre os milhares de pessoas, a maioria sírios, que fogem da guerra e da ocupação de fundamentalistas islâmicos da sua terra natal.

A ilha de Kos, a poucas milhas da costa turca, tornou-se num ponto fulcral de acesso para quem não desiste de chegar à Europa. A TVI esteve já no local e mostrou o drama humano de quem consegue chegar, mas não tem para onde ir.

Só este fim de semana a guarda costeira da Grécia resgatou e intercetou mais de 700 refugiados e migrantes ao largo de várias ilhas gregas. A maioria das operações de resgate ocorreu junto às ilhas de Lesbos, Kos, Samos e Ikaría.

Dados publicados pela Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) revelam que desde o início do ano chegaram à Grécia mais de 180 mil migrantes.