O antigo espião americano, Edward Snowden, adquiriu o estatuto de refugiado e vai ficar na Rússia durante um ano, segundo a agência noticiosa russa RIA, citada pela Reuters.

O ex-funcionário da CIA abandonou esta quinta-feira o aeroporto de Moscovo, onde estava a «viver» há alguma semanas, depois de ter dado uma entrevista no Japão ao jornal «The Guardian» onde denunciava o esquema de espionagem digital levado a cabo pelos Estados Unidos.

O ex-colaborador dos serviços secretos norte-americanos já saiu do aeroporto moscovita de Sheremetievo, onde estava há mais de um mês, depois de ter recebido das autoridades russas os documentos necessários, anunciou o seu advogado, Anatoli Kutcherena.

«Acabei de lhe entregar os documentos do Serviço Federal de Migração russo. Eles permitem-lhe sair do aeroporto», disse o advogado russo, citado pela agência Interfax.

A 16 de julho, o ex-analista informático da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA) pediu asilo temporário à Rússia.

Os documentos impedem que o ex-espião seja entregue aos EUA, mesmo que estes acionem um pedido formal de extradição. Snowden só poderá sair da Rússia se essa for a sua vontade.