Atualizado às 00:59

As sondagens avançadas pelos órgãos de comunicação social no Reino Unido dão a vitória do «Não» no referendo que se realizou esta quinta-feira na Escócia. A primeira sondagem foi avançada pela estação de televisão «Sky News», logo após o fecho das urnas, e indicava que o «sim» tinha ficado nos 47% e o «Não» tinha chegado aos 53%.

Pouco tempo depois, às 22:30, outra sondagem, realizada pela empresa de pesquisa de mercado YouGov, dava também ligeira uma vantagem ao «Não» com 54%. O «Sim» chegava aos 46%.

No entanto, na Escócia não se realizam sondagens à boca das urnas, o que dificulta mais o trabalho das empresas de consulta de opinião.

Apesar de já serem conhecidas estas projeções, as ruas permanecem tranquilas, sem qualquer tipo de manifestações públicas. Durante a noite vão ser conhecidos alguns resultados oficiais, mas só sexta-feira de manhã se saberá quem realmente venceu o referendo.

Entretanto, foram conhecidos os primeiros números oficiais de participação nas Ilhas Órcades, no extremo norte, e em Clackmannanshire, no centro da Escócia. com 84% e 89% respetivamente. Estes primeiros números são de duas das mais pequenas circunscrições das 32 em que a Escócia está dividida.

As Órcades têm 17.806 votantes recenseados, enquanto Clackmannanshire têm 39.972.

As assembleias de voto na Escócia fecharam esta noite, às 22:00 horas (locais e de Lisboa), para o referendo sobre a independência, uma consulta histórica.

De Glasgow a Edimburgo, cerca de 80% dos 4.285.323 eleitores, segundo as últimas estimativas, deslocaram-se para responder à questão «A Escócia deve tornar-se um país independente?» e decidir manter ou acabar a integração no Reino Unido, que remonta a 1707.