O Conselho da Europa diz que as condições em que se vai realizar o referendo na Grécia no domingo não correspondem aos padrões internacionais, adianta a agência Associated Press, nesta quarta-feira.

O secretário-geral do COE, Thorbjorn Jagland, disse à Associated Press, que um referendo deve realizar-se com uma antecedência de duas semanas para permitir tempo suficiente para discussão pública e que deve ter uma questão clara a ser colocada aos cidadãos, além da monitorizações de observadores internacionais durante o voto.
 
“O voto foi pedido num curto espaço de tempo, que por si só é um grande problema. E depois o facto de as questões colocadas às pessoas não serem muito claras”, argumentou Thorbjorn Jagland à AP, num contacto telefónico via Lisboa, aonde o secretário-geral do COE se deslocou para a entrega do prémio Norte-Sul do Centro da Europa.

O Conselho da Europa é a mais antiga organização intergovernamental com carácter político integrando 46 países, incluindo todos os Estados-membros da União Europeia e 21 países da Europa Central e Oriental. Foi criado com o intuito de promover a defesa do Direitos Humanos e concluir acordos à escala europeia para alcançar uma harmonização das práticas sociais e jurídicas em território europeu.