O grupo extremista Estado Islâmico publicou uma fotografia do piloto jordano Muaz Kasasbeh em cativeiro, depois de ter sido preso pelos radicais na semana passada. A fotografia aparece no mais recente número da revista do próprio Estado Islâmico, «Dabiq», divulgado esta terça-feira na Internet.

Na imagem, Muaz Kasasbeh surge como uma túnica de cor laranja, semelhante à de outros sequestrados pelo Estado Islâmico, diante de um fundo negro.  De acordo com a agência EFE, a fotografia acompanha um artigo propagandístico da revista em forma de entrevista com o piloto jordano, com o título «A captura de um piloto cruzado».

O avião do piloto jordano despenhou-se no dia 24 de dezembro na província síria de Al Raqa, quando participava nos bombardeamentos levados a cabo pela coligação internacional contra o Estado Islâmico. Os extremistas disseram que tinham derrubado a aeronave, mas a afirmação foi desmentida pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que afirmou que a queda foi um acidente.

Na suposta entrevista de Kasasbeh, o Estado Islâmico dá detalhes para defender a versão de que o avião foi abatido pelas baterias antiaéreas dos radicais.

Ao piloto também é perguntado como funciona a operação da coligação internacional contra o Estado Islâmico e sobre os países participantes.

A suposta entrevista acaba com uma pergunta sobre o destino do piloto nas mãos do grupo extremista. Muaz Kasasbeh responde: «Sim, eles matar-me-ão».

A entrevista também é ilustrada com outras fotografias do prisioneiro no momento da captura. Numa delas, Muaz Kasasbeh aparece com outros militares a cumprimentar o rei Abdullah da Jordânia.

O Estado Islâmico proclamou um califado no Iraque e na Síria no final de julho de 2014. Desde então publica a revista «Dabiq» na Internet, veículo usado para expor a própria ideologia e relatar os eventos no campo de batalha.