Há dias assim. Felizes. Seja o do reencontro entre April - ou Kiran Sheikh, como agora se chama -, de 22 anos e Joe Campbell, seja aquele 30 de Abril de 1994, quando ele encontrou uma bebé com duas horas de vida, abandonada numa cabina telefónica.

Então, era de noite. Em Newham, a este de Londres, a bebé foi deixada numa cabina telefónica pela mãe, que telefonou depois para a instituição de acolhimento Samaritans, dando-lhes conta do que fizera.

Só que antes mesmo de chegarem os assistentes sociais, Joe Campbell, então com 30 anos, entrou e viu algo que lhe pareceu um pacote de batatas fritas. Quando percebeu tratar-se de uma bebé com pouco tempo de vida, tratou de a salvar. Alertou a polícia e a criança foi levada para o Hospital de Newham.

"Senti uma ligação instantânea"

No hospital, a bebé recebeu o nome de April, por ter sido em Abril que nascera e o apelido do homem que a salvou - Campbell. Contudo, foi mais tarde adotada por uma família paquistanesa que lhe deu um novo nome: Kiran Sheikh.

Quanto a Joe Campbell, sabe-se agora que quis adotar a menina, mas o pedido foi-lhe negado, por não ser casado nessa altura.

Senti uma ligação instantânea com a bebé", disse Campbell ouvido pela televisão a ITV News. "Perguntei se podia manter contacto, disseram-me que não, que não era possível. Perguntei se podia encontrar uma maneira de saber como ela estava, disseram-me que não, que não era possível", completou.

Aos oito anos de idade, April, então de nome Kiran, soube a verdade sobre a sua história e como foi encontrada. Desde então, tal como Joe Campbell, tentou sempre alcançar o dioa do reencontro

Ele fez tanto por mim. Dizia no meu processo que ele me tinha dado presentes, que me tinha enviado cartas e eu nunca recebi nada, mas ele mandou. Precisava de lhe agradecer de alguma forma", contou Kiran Sheikh à ITV News.

Um primeiro dia para o resto das suas vidas

Anos passaram, até que a rapariga decidiu colocar anúncios nos jornais. E calhou que um colega de trabalho de Joe Campbell viu o apelo e alertou-o.

Estou tão feliz, é inacreditável. Esperei anos para o conhecer e ele está aqui, finalmente. Ele foi a primeira pessoa a pegar-me ao colo, depois da minha mãe", contou Kiran ao jornal Daily Mail.

Já Campbell teve a recompensa pelos anos em que guardou fotografias da bebé desde o dia em que a encontrou. Sempre na esperança de um dia a voltar a ver.

Este é um dia lindo. Estou tão feliz que ela tenha tentado entrar em contacto comigo depois de tanto tempo. Nunca a esqueci, nem acredito que ela me encontrou", contou Campbell, segundo o Daily Mail.

Reencontrado o homem que a salvou, Kiran Sheikh ainda não conheceu a mãe biológica, apesar das autoridades terem feito várias diligências para a encontrar. Conseguiram localizá-la dois anos após o nascimento da menina, quando a mulher estava no hospital para ter o seu oitavo filho.

Na altura, já Kiran vivia com a sua família de adoção. Um ano mais tarde, teve finalmente notícias da sua mãe biológica, quando esta lhe enviou uma carta com um pedido de desculpas.