O terrorista marroquino que protagonizou na sexta-feira o ataque no sul de França estava a ser seguido pela polícia espanhola depois de ter sido detetado em várias operações relacionadas com droga, segundo o Governo de Espanha.

O ministro espanhol do Interior, Juan Ignacio Zoido, disse aos jornalistas que as autoridades do país têm conhecimento que o autor do ataque em França esteve “em alguma ocasião” em Espanha, mas nunca foi detetado em operações “relacionadas com terrorismo”.

O ministro adiantou que o marroquino Redouane Lakdim, 26 anos, fazia parte de uma organização criminosa envolvida em narcotráfico e crime organizado, que terá passado do “sul de França para a Espanha", onde foi localizado.

O ministro afirmou ainda a disponibilidade do Governo espanhol em "continuar a trabalhar de forma leal com os países” vizinhos sobre terrorismo, especialmente com França, lembrando que Espanha mantém "segurança de nível quatro, reforçada pelos ataques em Barcelona e Cambrils".

O ataque ocorreu em Carcassonne e Trèbes, no sul de França, e provocou quatro mortos. Entre os feridos está um português que se encontra em estado grave.

O atacante sequestrou trabalhadores e clientes num supermercado, afirmando agir em nome do grupo extremista Estado Islâmico.