Cerca de 700 mil falsos recordações com a imagem do Papa Francisco e dos futuros santos João XXIII e João Paulo II foram este sábado apreendidos pela polícia italiana na véspera da cerimónia da dupla canonização.

Se tivessem sido vendidos, os objetos, como ímanes, autocolantes, relógios ou pequenos quadros, teriam rendido 3,5 mil milhões de euros, refere um comunicado da polícia.

Os produtos seriam transacionados a preços mais baixos que os materiais oficiais e apresentam escrita a data de 27 de abril de uma forma visível.