O bombista suicida responsável pelo atentado num casamento na cidade turca Gaziantep, que provocou pelo menos 51 mortos e 73 feridos, é um rapaz entre os 12 e os 14 anos. A informação foi avançada, este domingo, pelo Presidente da Turquia. Recep Tayyip Erdogan confirmou ainda que 17 feridos estão em estado muito grave, noticia a AFP.

"A explosão resultou de um bombista suicida com idade entre 12 e 14 anos que ou detonou [a bomba] ou foi detonada por outros à distância", afirmou Erdogan, numa conferência de imprensa em Istambul.

O Presidente turco reiterou a informação anteriormente avançada de que o ataque terá sido perpetrado pelo grupo jihadista que se autoproclama de Estado Islâmico.

O ataque terá acontecido sábado à noite no fim da festa de um casamento, que decorria em Gaziantep, num bairro de maioria curda, explica a AFP. Um dos noivos era militante do Partido pró-curdo HDP, diz a Reuters, e o noivo ficou ferido.

“Muitos curdos perderam a vida”, lamentou-se o partido pró-curdo HDP, num e-mail que condena o ataque, citado pela AFP. 

Gaziantep é uma zona de passagem dos refugiados sírios, mas conta também com células do Estado Islâmico. 

De acordo com a agência de notícias turca Dogan, os noivos eram originários de Siirt, uma região que fica a centenas de quilómetros a leste de Gaziantep, já no Sudeste da Turquia. Em Siirt vive uma população de maioria maioria curda, mas os noivos vieram para Gaziantep devido à violência entre os rebeldes curdos e as forças governamentais.

“As celebrações estavam a terminar e houve uma grande explosão quando as pessoas estavam a dançar”, disse Veli Can, de 25 anos, citado pela Reuters.

A agência Dogan noticia que um bombista suicida juntou-se aos festejos, que decorriam ao ar livre, e fez-se explodir. Havia muitas mulheres e crianças entre as vítimas.

Explosões de carros armadilhados marcaram os últimos dias no leste da Turquia. As autoridades atribuíram a autoria dos atentados aos separatistas curdos do PKK.

A província de Van foi uma das regiões atingidas por uma das bombas, que deflagrou junto a uma esquadra de polícia e atingiu também os festejos de um casamento.

Estes ataques têm estado, em muitos casos, ligados à evolução da guerra na Síria. No norte do país e a sul de Gaziantep, houve ferozes combates entre as forças YPG curdas eos militantes jihadistas do Daesh.