Militantes mataram 20 pessoas no segundo massacre em dois dias na cidade de Beni, na República Democrática do Congo, avança a BBC.

Um pastor local afirmou que os militantes atacaram a vila de Eringeti com armas, machados e facas.  Segundo um grupo de habitantes, os criminosos vieram de Uganda e atacaram sobretudo mulheres e crianças.

No entanto, um oficial local afirmou que não podia confirmar quem era o responsável pelo ataque.

Esta quinta-feira, 26 pessoas foram mortas perto de Beni. O presidente da cidade acusou um grupo Islâmico do Uganda - Forças Democratas Aliadas - pelo ataque.