O antigo presidente da Câmara de Nova Orleães, Ray Nagin, foi esta quarta-feira condenado a 10 anos de cadeia por corrupção e lavagem de dinheiro. Os crimes ter-se-ão estendido ao longo dos seus dois mandatos, incluindo o período conturbado que a região atravessou após o furação Katrina, em 2005.

A sentença só foi lida esta quarta-feira, mas Nagin já tinha sido considerado culpado numa sessão do julgamento que decorreu a 12 de fevereiro. Ele terá aceite dinheiro, férias pagas e camiões de pedra para o negócio da família, dados por empresários que pretendiam trabalhar na cidade.

Desde que foi indiciado, em 2013, que Ray Nagin negava todas as acusações. De acordo com a ABC, minutos antes de ouvir a sentença, o antigo autarca falou aos jornalistas e elogiou a juíza pelo seu profissionalismo. «Confio no trabalho de Deus», acrescentou.

Após a leitura da sentença, limitou-se a sorrir e abraçou os apoiantes à saída do tribunal. Nagin deverá cumprir pena na cadeia federal em Oakdale, Louisiana, a partir de setembro.

Nagin podia ter sido condenado a 20 anos de cadeia. A juíza justificou a pena com o seu caráter como pai, filho e marido e notou que, apesar dos seus crimes, o autarca sempre demonstrou um desejo «genuíno» de ajudar a reconstruir Nova Orleães e os seus habitantes após a catástrofe de 2005.