A Procuradoria-Geral de Cuba abriu uma linha telefónica para receber queixas da população sobre corrupção, no seguimento da cruzada lançada pelo presidente Raul Castro contra este fenómeno, noticiaram na segunda-feira vários meios locais.

Raul Castro considera a corrupção como “o maior perigo” para o sistema económico que se esforça para reformar, depois de ter sucedido ao seu irmão, Fidel.

Por norma, discreta sobre o tema da corrupção, a imprensa cubana, totalmente controlada pelas autoridades, noticia ocasionalmente processos judiciais contra funcionários cubanos e empresários estrangeiros, que terminam com condenações a penas de prisão.