Um tribunal sul-africano libertou esta sexta-feira sob caução uma mulher acusada de ter raptado uma recém-nascida há 17 anos, num caso descoberto quando a irmã biológica mais nova começou a frequentar o mesmo liceu.

Libertada mediante uma caução de cinco mil rands (380 euros), a mãe «adotiva» está proibida de entrar em contato com o marido ou com a jovem, entre outras testemunhas do processo. Uma audiência está marcada para 29 de maio.

A raptora, de 50 anos, incorre numa pena de cinco anos de prisão, mas o Ministério Público considerou que poderá chegar a acordo, se as duas famílias se entenderem.

O tribunal ordenou que a identidade da vítima e fotografias de Zephany, nome dado pelos pais biológicos, e da raptora não podem ser divulgadas.

De acordo com jornais sul-africanos, Zephany está atualmente a viver com uma assistente social, até que se possa tomar uma decisão sobre o seu futuro.

Raptada com três dias de vida, em abril de 1997, quando ainda estava no hospital Groote Schuur, na Cidade do Cabo, a bebé cresceu com a sequestradora e o marido, que sempre acreditou serem os pais biológicos.

Colegas da escola notaram, no regresso às aulas em janeiro, uma semelhança perturbante entre a estudante e uma nova aluna do liceu, Cassidy.

Os pais biológicos, que acreditaram sempre na possibilidade de encontrar a filha, chamaram a polícia, depois de Cassidy ter falado da colega e de terem visto a semelhança entre as duas.

Testes de ADN estabeleceram que as duas jovens eram irmãs e filhas do casal Celeste e Morné Nurse. Sem saberem, as duas famílias residiam a alguns quilómetros de distância.

O pai «adotivo« nunca soube a origem do bebé que a mãe «adotiva», que alegadamente sofreu vários abortos, trouxe um dia da maternidade. A imprensa sul-africana afirma que a adolescente cresceu rodeada de «amor e carinho».

Os pais biológicos disseram aos jornalistas que a alegria de terem encontrado a filha é superior ao desejo de vingança.

«Quero o que ela quiser. Aquilo que ela pensar ser melhor para ela é aquilo que será melhor para nós», disse Celeste Nurse sobre o futuro de Zephany.