Um menino de seis anos do Missouri, nos Estados Unidos, esteve «sequestrado» durante mais de quatro horas. Os «sequestradores» eram a própria mãe, a avós, uma tia e um colega de trabalho da tia, que lhe queriam dar uma lição.
 
Aparentemente, a criança era demasiado simpática com estranhos. «A família disse aos investigadores que a sua intenção era educar a vítima e não sentiam que tivessem feito algo de errado», disse a polícia de Lincoln County, em comunicado.
 
O menino foi levado por uma pickup, quando desceu do autocarro escolar, na segunda-feira, avança a CNN. A criança foi atada, ameaçada com uma arma e levado para uma cave, onde lhe retiraram as calças e disseram que ele ia ser vendido como escravo sexual.
 
O colega de trabalho da tia do menino, um homem de 23 anos, atou as mãos e os pés da criança com sacos plásticos e usou um casaco para lhe cobrir a cabeça, para que o menino não pudesse vê-lo.
 
«A criança permaneceu na cave, antes de ser desamarrado e mandado para o andar de cima, onde o aguardava a família que lhe passou um sermão sobre os perigos de falar com estranhos», conta a polícia.
 
A mãe do menino, de 25 anos, está acusada de sequestro e abuso e de negligência parental. A avó, a tia e o colega da tia são acusados de sequestro doloso.
 
A criança foi colocada proteção do Estado.