Notícia atualizada

O Governo português admite reforçar a cooperação com Moçambique em matéria de segurança. Mas o secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, recorda que o pedido tem de partir do Governo moçambicano.

Em declarações à TSF, José Cesário recorda que «não podemos enviar uma força de segurança para Moçambique» sem um pedido de Maputo.«Qualquer cooperação em matéria de segurança tem de ser solicitada por Moçambique. Quero recordar que, no verão passado, aquando do rapto de um português, tivemos em Moçambique polícias nossos que colaboraram com as autoridades moçambicanas», disse.

O governante português sublinha que não foi feito qualquer pedido nesse sentido.

As declarações de José Cesário surgem numa altura em que três portugueses continuam sequestradose em parte incerta.

No mesmo sentido falou marques Guedes. O ministro adiantou que as autoridades portuguesas estão a acompanhar a situação que se vive em Moçambique e assinalou os «laços fortes de cooperação» entre os dois países no âmbito da CPLP, salientando que existe também «cooperação no âmbito das autoridades».

«Qualquer auxílio de cooperação no plano das autoridades, obviamente estará sempre em cima da mesa desde que seja solicitado, como não pode deixar de ser, pelo governo de Moçambique. Estamos a falar de estados soberanos e a cooperação faz-se de Estado a Estado», disse Marques Guedes, após ter sido questionado se o Governo pondera enviar ajuda policial para Moçambique e o acompanhamento que está a dar aos cidadãos portugueses, refere a Lusa.