Dois homens armados sequestraram o general de brigada, António Lozada Saavedra, de 57 anos, um conhecido militar, assessor e coordenador da coligação Mesa de Unidade Democrática, da oposição venezuelana.

Segundo o filho, Rowan Lozada, o general foi visto pela última vez na manhã da última terça-feira, em Caracas, quando lhe deu a boleia até uma estação do metropolitano, tendo sido intercetado por dois homens armados que «o identificaram pela sua hierarquia, o chamaram pelo nome e cargo», apesar de já estar na reserva.

«Um amigo da família encontrava-se no carro. Uma carrinha prateada parou e dois homens com armas longas obrigaram-nos a acompanhá-los e a entrar na parte de trás dessa viatura, que partiu para a autoestrada. Ao amigo da família tiraram-lhe o telemóvel e depois abandonaram-no, levando o meu pai com eles», explicou aos jornalistas.