A polícia marroquina deteve uma mulher suspeita de vender bebés em França, noticia a agência EFE esta sexta-feira.  

Segundo o jornal Asabah, citado pela agência espanhola, a mulher marroquina, que vive em França, abordava grávidas em situação económica vulnerável e oferecia-se para conseguir passaporte francês para os bebés.

As mães entregavam as crianças recém-nascidas a esta intermediária, acreditando voltar a vê-las depois de obtida a documentação francesa. No entanto, o diário marroquino refere que as crianças não voltaram. Eram alegadamente vendidas a famílias francesas por uma soma que variava entre os 1.000 e os 2.000 euros.

O esquema foi descoberto pelas autoridades marroquinas após a denúncia de uma mãe. A mulher foi informada de que o filho tinha morrido e estava enterrado em França. A mãe quis uma prova. Como esta não lhe foi dada, fez queixa às autoridades.

Há, pelo menos, mais dois casos de bebés desaparecidos nas mesmas condições.

A intermediária, que atuava em Kenitra, a cerca de 40 quilómetros de Rabat, está sob custódia da polícia, mas a investigação continua. As autoridades acreditam estar perante uma rede, já que a mulher carecia de ajuda na maternidade e no Registo Civil.