O Ministério Público sueco formalizou, nesta terça-feira, as acusações de terrorismo e de tentativa de ato terrorista ao cidadão uzbeque que, em abril de 2017, conduziu um camião sobre a multidão em Estocolmo, matando cinco pessoas e ferindo outras 14.

Segundo a agência noticiosa Associated Press (AP), Rakhmat Akilov, o único suspeito e que já confessou a intenção, fora detido horas depois de ter roubado um camião e de o ter conduzido para uma rua pedonal onde se encontravam dezenas de pessoas às compras no centro de Estocolmo, a 7 de abril do ano passado.

No texto da acusação, citado pela AP, é indicado que Akilov ofereceu-se ao grupo Estado Islâmico para realizar um ataque em Estocolmo em nome da organização terrorista, tendo disponibilizado, para tal, um conjunto de possíveis alvos.

Não ficou, porém, claro, se o EI aceitou a “oferta”.

Segundo a AP, os investigadores suecos encontraram um cartão de memória com “material que pode estar ligado ao grupo Estado Islâmico”, que inclui, entre outros documentos, vídeos de execuções sumárias perpetrados pela organização terrorista.

Rakhmat Akilov, 39 anos, era trabalhador da construção civil e estava para ser deportado da Suécia antes de perpetrar o ataque, depois de o pedido de asilo ter sido recusado pelas autoridades suecas.