A organização humanitária Human Rights Watch disse que o blogger saudita Raif Badawi, condenado a 10 anos de cadeia e a 1000 chicotadas, pode ver ser-lhe aplicada a qualquer momento uma segunda ronda do castigo corporal.  

A primeira série de 50 vergastadas ocorreu em janeiro. Badawi foi golpeado nas costas e nas pernas, ficando bastante debilitado. 

Devido ao estado de saúde em que se encontra, a aplicação da segunda ronda foi sendo sucessivamente adiada.  As chicotadas deveriam ser aplicadas em 20 séries, à sexta-feira.

Chegou a pensar-se até que Raif Badawi tivesse sido amnistiado por ocasião da morte do rei Abdullah. Mas, recentemente, ficou a saber-se que o Supremo Tribunal Saudita manteve a sentença.

Detido desde 2012, por debater no blogue pessoal temas políticos e religiosos, Badawi foi condenado no ano seguinte a sete anos de prisão e 600 chicotadas.

A justiça saudita considerou-o culpado de violar as leis de informação tecnológica do país, insultar o Islão, publicar blasfémias no Facebook e até desobedecer ao pai. 

O recurso que interpôs só serviu para reforçar a sentença com mais três anos de prisão, mais 400 chicotadas e uma multa de cerca de 200 mil euros.

Riade manteve-se sempre irredutível perante a pressão e a indignação internacional. O governo saudita chegou mesmo a dizer-se “surpreendido” e “desanimado” pela reação de repúdio do resto do mundo a esta condenação.