A operadora da central de Fukushima, Tokyo Electric Power (TEPCO), confirmou que a água radioativa do subsolo extravasou o sistema de contenção subterrâneo construído para evitar a sua chegada ao mar, informou este domingo a estação NHK.

As obras do muro subterrâneo de 100 metros de comprimento, situado entre os reatores e o oceano, foram concluídas na sexta-feira depois de os técnicos da TEPCO terem completado um complexo sistema de injeção química, com vista a reforçar e selar o subsolo para evitar a fuga do líquido radiativo para o mar.

Não obstante, os operários descobriram, através de um dos poços de observação a partir dos quais recolhem habitualmente as amostras de água subterrânea, que o nível do líquido supera em cerca de 60 centímetros a altura do muro de contenção do subsolo.