A cidade norte-americana de Charlotte, na Carolina do Norte, foi palco de distúrbios durante a noite, depois da morte, na terça-feira, de Keith Lamont Scott, um afro-americano de 43 anos baleado horas antes pela polícia.

Confrontos entre polícia e manifestantes resultaram numa dúzia de agentes feridos, um dos quais atingido com uma pedra na cara, enquanto vários veículos policiais e de meios de comunicação ficaram danificados.

Desconhece-se o número de manifestantes feridos nos confrontos, que começaram ao final da tarde e prolongaram-se durante várias horas, bem como o de eventuais detenções.

Keith Lamont Scott foi baleado mortalmente no parque de estacionamento de um edifício, onde a polícia se deslocou para executar um mandado de detenção de outro homem.

A família da vítima garante que Scott não estava armado e que na sua posse teria apenas um livro, que lia enquanto aguardava que um dos filhos chegasse da escola.

Mas a versão da polícia é diferente: em comunicado, os agentes sublinharam que o homem tinha uma arma de fogo, que era uma "ameaça".

"O indivíduo saiu do veículo com uma arma de fogo que representava uma ameaça de morte iminente para os agentes, que em seguida dispararam as suas pistolas", informou, em comunicado, a polícia de Charlotte.

O chefe da polícia de Charlotte, Kerr Putney, disse, entretanto, que os agentes pediram várias vezes a Scott para largar a arma, mas que ele não o fez. O responsável assegurou que tanto as provas recolhidas no local como os relatos de testemunhas apoiam os depoimentos dos agentes.

"É tempo de mudar a narrativa porque posso garantir-vos que a história é um bocado diferente daquela que tem sido contada, especialmente através das redes sociais", vincou Putney.

O agente Brentley Vinson, que matou Keith Lamont Scott, é, segundo a imprensa local, afro-americano.

Este caso surge num clima de crispação racial que tem vindo a aumentar nos últimos dois anos devido à morte de dezenas de afro-americanos às mãos da polícia, e dias depois de uma agente matar um homem negro desarmado, em Oklahoma.