Os dez ex-concorrentes do American Idol processaram o programa, argumentando que foram injustiçados e postos em desvantagem por serem negros. Cada um deles reivindica por quase 30 milhões de euros.

De acordo com o site «TMZ», os ex-concorrentes acusaram os produtores de criarem um esquema «cruel e desumano» para os prejudicar nas votações. Os acusadores dizem que foram humilhados no programa por terem sido apresentados os seus registos criminais.

O advogado dos dez afirma que que foram usados as informações para que os seus clientes passassem a imagem de «criminosos violentos, mentirosos e doentes sexuais».

Os americanos em questão afirmam que as suas vidas ficaram arruinadas depois destes retratos transmitidos pelo programa.

Eles são: Corey Clark, Jaered Andrews, Jacob John Smalley, Donnie Williams, Terrell Brittenum, Derrell Brittenum, Thomas Daniels, Akron Watson, Ju'Not Joyner e Chris Golightly.