Mais de 30 membros do grupo radical islâmico Al-Shabab, incluindo destacados dirigentes, morreram na quinta-feira num ataque de aviões de combate quenianos a um campo do grupo no sul de Somália, informaram as Forças Armadas do Quénia.

«Às 18:00 (16:00 de Lisboa), caças das Forças de Defesa do Quénia atacaram um campo de Al-Shabab onde decorria uma reunião em Garbarahey, na região somali de Gedo», disse o Exército queniano, num comunicado citado pela agência Efe.

«A avaliação inicial de danos da batalha indica que morreram mais de 30 membros do Al-Shabab, incluindo dirigentes importantes. Várias dezenas escaparam com ferimentos múltiplos», acrescenta a nota.

Foi também adiantado que «mais de cinco veículos e importantes ativos foram destruídos».

O grupo ainda não se pronunciou sobre o incidente.

Em outubro de 2011, o exército do Quénia entrou na Somália devido a uma onda de sequestros em território queniano atribuída a Al-Shabab, grupo que ameaçou com ataques terroristas como represália.

O grupo Al-Shabab anunciou em fevereiro de 2012 a sua adesão formal à organização terrorista Al Qaeda.