O presumível chefe de uma vasta rede de tráfico de marfim no Quénia, que está entre as nove pessoas mais procuradas no mundo pela Interpol por «crimes contra o ambiente», foi detido na Tanzânia, anunciou esta terça-feira a procuradoria queniana.

«Feisal Mohamed Ali foi detido por agentes da Interpol em Dar es Salaam» na segunda-feira à noite, indicou o ministério público (DPP) do Quénia, em comunicado.

Empresário de Mombaça, Feisal Mohamed Ali foi acusado em junho depois da descoberta num armazém da cidade, a segunda maior do Quénia e a que possui o principal porto da África Oriental, de mais de duas toneladas de marfim, incluindo 228 defesas de elefante inteiras.