Ao fim de oito horas de assalto, o exército e a polícia do Quénia detiveram um dos atacantes responsáveis pelo tiroteio que matou pelo menos 26 pessoas num centro comercial da capital.

As forças de segurança dizem que têm já a situação controlada, mas o grupo armado continua barricado no interior do edifício, juntamente com sete reféns.

Uma fonte policial, citada pela imprensa queniana, fala em grupo terroristas. O governo de Nairobi descreve os atacantes como bem organizados mas não quer comentar a identidade, dizendo que para já nada se sabe sobre as motivações do ataque.

As 26 mortes reportadas são confirmadas pela Cruz Vermelha que avança ainda com cerca de 50 feridos, alguns com ferimentos de bala.

O exército já assumiu a chefia das operações, que decorre nesta que é uma zona da capital queniana frequentada pelas classes mais altas e expatriados de outros países.