Pelo menos dez pessoas morreram e mais de mil adoeceram na sequência de um surto de cólera entre refugiados somalis no maior campo de refugiados do mundo, no Quénia, informou este sábado uma fonte das Nações Unidas.

O surto teve início em novembro no acampamento de Dadaab, no nordeste do Quénia, a 100 quilómetros da fronteira com a Somália, que alberga aproximadamente 350 mil somalis, disse Osman Yussuf Ahmed, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

De acordo com a AFP, o complexo de campos de refugiados de Dadaab é o maior no mundo e é ocupado essencialmente por somalis que, há mais de 20 anos, fogem da guerra civil e da fome no seu país.