A organização Mundial de Saúde (OMS) manifestou otimismo face ao último balanço relativo ao Ébola, que revela uma queda na existência de novos casos nos três países de África Ocidental mais atingidos pelo vírus. O porta-voz da agência da ONU em Genebra, Tarik Jasarevic, em declarações à agência France Presse explicou que «esta queda é real, mas não significa que o combate tenha terminado».
 

«Trata-se do primeiro sinal otimista e é o resultado do trabalho efetuado nos últimos meses»


A OMS referiu que a epidemia registou, esta semana, o valor mais baixo de novos casos desde agosto na Guiné – 42 infetados – e na Serra Leoa – 184, 59 dos quais em Freetown. Na Libéria os novos casos apresentam um número semelhante aos registados em junho – na semana de 11 de janeiro registaram-se oito novos casos, valor pouco expressivo quando comparado com os 300 infetados por semana nos meses de agosto ou setembro. Segundo a France Presse, Jasarevic explicou que:
 

«Temos mais laboratórios, equipamentos e os dados recolhidos são melhores, embora isto não signifique que todos os casos sejam reportados»


De acordo com a Associated Press, na Libéria, as escolas irão reabrir no próximo mês e na Serra Leoa o ministro da Saúde explicou que já foram «importados termómetros para as escolas»; com «a diminuição de casos» a reabertura é uma hipótese a considerar.

Em todo o mundo foram registados 21.329 casos de Ébola e, deste total, morreram 8.459 pessoas, de acordo com o último balanço da OMS publicado na passada quarta-feira. Com exceção de 15 mortes, todas as outras se registaram na Guiné, Serra Leoa e Libéria.