Um estudo publicado pelo Reputation Institute (Instituto de Reputação), uma empresa de consultadoria e aconselhamento especializado na área, determinou quais os cinco países com maior reputação do mundo: a Suécia, o Canadá, a Suíça, a Austrália e a Noruega.

A análise partiu de 55 países pré-seleccionados: aqueles que têm um maior Produto Interno Bruto, uma maior população e que acolhem eventos importantes. Depois, para se apurar quais os que têm mais e menor reputação, foi feito um inquérito online a 48.000 pessoas dos países do G8, os oito países mais industrializados do mundo.

As questões colocadas tiveram em conta 16 fatores, entre eles se se trata de um lugar bonito e seguro para se visitar, se acolhe bem os turistas, se tem políticas progressistas ou se o governo é eficaz.

Suécia

É o país com melhor reputação. A Suécia apresenta valores elevados de segurança, hospitalidade e beleza natural e arquitetónica. Esta nação oferece um vasto património com muitos séculos, sobretudo por causa de se ter mantido neutra nos conflitos da Segunda Guerra Mundial e não ter registado destruições de edifícios e espólio histórico.

“Os suecos parecem felizes com esta posição independente, enquanto ao mesmo tempo são um dos países da Europa mais hospitaleiros em relação aos refugiados”, afirmou Ernest Adams, um britânico que vive em Estocolmo, a capital do país.  “Esta é uma virtude que eles têm há muito tempo – [os suecos] salvaram muitos judeus dinamarqueses durante a guerra”.

Embora confessem que os preços, sobretudo das bebidas, são muito elevados, os suecos são um povo com mentalidade de poupança, comendo em casa e movimentando-se nos eficazes e confortáveis transportes públicos.

Canadá

Embora não tenham conseguido o primeiro lugar, os canadianos falam agora melhor do seu país do que alguma vez falaram, especialmente nos temas referentes à posição do governo na iniciativa das “portas abertas” aos refugiados sírios.

O Canadá também se apresenta como um dos países mais seguros do mundo, o que não significa que todos os problemas estão solucionados. “Isto não é uma utopia. Nós temos crime. Temos gangs”, disse um residente do país à BBC. “Mas também temos uma forte rede de segurança social e um compromisso partilhado de valores como o respeito mútuo e um multiculturalismo positivo”.

Enquanto as principais cidades com Vancouver e Toronto são consideradas caras em relação à média de preços mundiais, o custo de vida no Canadá não é muito elevado se comparado com muitos outros países desenvolvidos. Mesmo nas grandes cidades, podem encontrar-se preços mais aceitáveis, sobretudo fora dos grandes centros urbanos.

Suíça

Para além da beleza natural que este país do centro europeu oferece, os suíços são também conhecidos como amigáveis e o governo é elogiado pelas políticas progressistas. O bem-estar e a cultura são também fatores valorizados pelos habitantes.

Embora a Suíça se encontre constantemente no ranking dos países mais caros do mundo, os residentes têm alguns benefícios como políticas que promovem o arrendamento de casas e o serviço de saúde universal.

Austrália

Este país é amado pelos residentes, que se sentem seguros e num ambiente pacífico, sobretudo pela posição dos sucessivos governos em relação à posse de armas de fogo.

“A Austrália baniu as armas há algumas décadas, o que significa que a violência com recurso a armas de fogo diminui”, disse Ganesh Krishnan, proveniente da Índia e que vive agora na cidade de Melbourne. “Aqui podemos andar na rua a qualquer hora, seja de dia ou de noite”.

A cidade de Melbourne é uma presença habitual no ranking das cidades do mundo com melhor qualidade de vida, pelo seu extenso e eficiente sistema de transportes que liga a cidade aos subúrbios. As cidades de Perth e Sydney – a capital australiana – estão também no top das cidades mais procuradas pelos estrangeiros que desejam trabalhar fora dos países de origem.

O investimento na educação e no sistema universal de saúde representam, também, fatores que valorizam este país.

Noruega

O país apelidado como “seguro e cénico” ocupa o quinto lugar no top dos países mais reputados do mundo.

A Noruega é um dos países mais ricos, com grandes investimentos no setor petrolífero. O país investe parte do capital obtido nesse negócio em fundos para as gerações futuras.

Os residentes estrangeiros não apontam qualquer distinção feita entre os nativos e quem vem de fora para trabalhar. A maioria escolhe viver na capital, Oslo, que não é uma cidade muito grande, o que faz com que as principais atividades se concentrem no centro.

Independentemente do sítio onde vivem, os noruegueses investem o seu tempo em atividades no exterior. “São doidos pelos locais ao ar livre!” Referiu um residente estrangeiro da cidade de Oslo à BBC. “Eles amam estar fora de casa, visitar o país, fazem ski no inverno e caminhadas no verão. O grau de atividade física da população é muito elevado, com as inscrições em ginásios oferecidas pelas empresas”.