Um retrato do imperador francês Napoleão Bonaparte, que se julgava perdido há dois séculos, foi encontrado em Nova Iorque, tendo sido comprado por menos de um centésimo do seu valor provável.

A obra de arte, pintada por Jacques-Louis David em 1813, quando a Grã-Bretanha e a Prússia ameaçavam ocupar França, ilustra Napoleão I empenhado em defender o país da invasão, usando o uniforme da guarda nacional.

No retrato, posa, como era seu hábito, com a mão direita na casaca.

Pensando-se ser uma cópia, o quadro foi vendido em 2005 a um colecionador privado de Nova Iorque por cerca de 18.000 euros.

O comprador limpou-o e depois contactou o perito em arte francês Simon Lee, da Universidade de Reading, Londres, para o ajudar na autenticação.

Comparou-o com cópias e outros quadros de David.

«O quadro está também assinado com a assinatura genuína de David, a limpeza revelou a palavra Rouget e a data 1813 apareceu sob a tela», disse Lee.

George Rouget foi a assinatura preferida de David durante quase dez anos.

O retrato esteve com a família Borthwick-Norton no seu castelo fora de Edimburgo e foi oferecido à Academia Real Escocesa em 1988.

«A nossa política de coleção é dirigida para as artes e temas escoceses, não colecionamos obras de artistas europeus», disse um responsável da academia à agência France Presse. «Foi avaliado por leiloeiras e especialistas, que olharam para isto como uma cópia».

Agora parece que a academia perdeu uma pequena fortuna. Crê-se que o quadro valha mais de 2,4 milhões de euros.

David foi um dos mais famosos pintores na Europa entre 1780 e a data da morte, em 1825.