Um vídeo no qual um jovem procura o militar que lhe salvou a vida em 2008, no terramoto de Sichuan, na China, tornou-se viral e está a comover as redes sociais que perguntam quem será esse herói anónimo.

No vídeo, publicado a semana passada e que já teve 12 milhões de visualizações, Qiang Tianlin, agora com 24 anos, dirige-se ao seu salvador, que caiu sobre ele e fez de “escudo humano” numa derrocada originada pelo sismo, conseguindo que o jovem, então com 14 anos, saísse ileso.

Passaram dez anos, tornei-me num militar como tu. Podes ver-me? Estou a procurar-te todos estes anos. Onde estás?”, pergunta Qiang Tianlin no vídeo, partilhado milhares de vezes no Weibo, o equivalente chinês do Twitter.

Qiang era em 2008 aluno no Instituto Guanzhuang, uma das zonas mais afetadas pelo sismo com 8 graus de magnitude que há dez anos, em 12 de maio, provocou cerca de 90 mil mortos e desaparecidos, tornando-se num dos piores da história.

Após o terramoto, Qiang decidiu regressar a casa através de um caminho pela montanha, tendo sido surpreendido pelo desprendimento de pedras numa das mil réplicas registadas, momento em que o soldado apareceu quase providencialmente.

Se não fosse ele, poderia ter morrido. Vi como as pedras atingiam as suas costas e as suas mãos sangravam”, relata o jovem no vídeo.

O militar, ainda desconhecido, mas aparentemente comandante de um batalhão, levou Qiang para um abrigo temporário, onde se reencontrou com a família, tendo-o visitado por diversas vezes para saber o seu estado e deu-lhe conselhos para estudar e sair “para ver o mundo”.

Qiang conta que esta situação mudou a sua vida porque, inspirado pelo militar, deixou de ser um mau aluno e acabou por se matricular na Universidade Nacional de Tecnologia de Defesa em 2012, alistando-se também no Exército. O próprio ministério da Defesa chinês partilhou o vídeo no seu site.

O jovem é, ainda, membro de uma equipa internacional de busca e salvamento da China, e, embora ainda não tenha participado em missões de resgate, espera no futuro imitar aquele que o salvou há dez anos.