A polícia russa deteve, esta segunda-feira, cerca de 200 pessoas que protestavam contra a condenação dos oito ativistas que se manifestaram contra a tomada de posse do presidente, Vladimir Putin, em maio de 2012.

A manifestação solidária decorreu hoje junto a um tribunal em Moscovo, onde sete dos oito ativistas foram condenados entre dois a quatro anos de prisão. O último acusado, uma mulher, foi condenado a três anos e três meses com pena suspensa.

A sentença já tinha sido conhecida na semana passada, mas o anúncio foi adiado até esta segunda-feira.

«Liberdade» e «Rússia sem Putin» são algumas das palavras que se fizeram ouvir durante o protesto. Os 200 detidos são acusados de «desordem em espaço público».

Entre os detidos estão algumas pessoas que também protestaram na terceira tomada de posse de Vladimir Putin. Na altura, a polícia recorreu à violência para impedir a passagem dos manifestantes para Bolotnaya Square, no centro de Moscovo.

Um dos advogados de defesa considerou as sentenças demasiado «severas e desadequadas» e anunciou que vai recorrer. Estas penas «foram baseadas na situação política e não na natureza das acusações», disse.