Erajá madrugada, em Portugal, quando os Estados Unidos reagiram à decisão de Moscovo de expulsar 755 pessoas do corpo diplomático norte-americano na Rússia. Fica a promessa do país liderado por Donald Trump de que virá aí uma resposta adequada.

"É uma decisão lamentável e injustificada. Estamos a avaliar o impacto deste tipo de limitação e a forma como vamos responder", indicou num comunicado, divulgado no domingo, o departamento de Estado norte-americano.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou, no domingo, que 755 diplomatas norte-americanos devem sair do país, a partir de 1 de setembro.

Com esta decisão, o efetivo será reduzido para menos de metade.

Putin advertiu também que mudanças positivas na relação com Washington “não estão para breve”.