logotipo tvi24

Mortes de adolescentes no Brasil relacionadas com «pulseirinha do sexo»

Meninas assassinadas utilizavam o controverso acessório

Por: Redacção / CMM    |   2010-04-05 12:16

A polícia de Manaus, no Brasil, está a investigar a morte misteriosa de duas adolescentes. Ambas as jovens usavam as conhecidas «pulseiras do sexo» no momento em que foram assassinadas e as autoridades suspeitam que o acessório tenha sido o motivo do crime.

A primeira jovem alegadamente morta por causa das pulseiras coloridas trata-se de uma adolescente esfaqueada na noite da Sexta-feira Santa, no bairro Valparaíso. Ao lado do corpo da menor foram encontradas duas pulseiras partidas.

A outra vítima das «pulseiras do sexo» é uma jovem, de 14 anos, encontrada morta na madrugada de sábado num quarto de hotel no bairro Morro da Liberdade. A menina tinha seis pulseiras coloridas que, de acordo com a polícia, terão sido rebentadas pelo autor do crime.

Uma mania entre jovens e crianças de todo o mundo, as pulseiras começaram a ser usadas na Inglaterra em 2006.
Aparentemente inofensivo, o acessório remete para um jogo em que o dono do objecto é castigado, de acordo com a cor do acessório, quando o mesmo é rebentado.

A «pena» pode ir desde um abraço ou um beijo até diversas práticas sexuais.

No Brasil, o uso das «pulseiras de sexo» preocupa pais e directores de escolas. No estado de Santa Catarina uma lei municipal proibiu a venda dos acessórios coloridos e em Londrina, no Paraná, a Justiça também obrigou os comerciantes a retirarem o produto do mercado.

Partilhar
EM BAIXO: Mortes de adolescentes no Brasil relacionadas com «pulseirinha do sexo»
Mortes de adolescentes no Brasil relacionadas com «pulseirinha do sexo»

Jornalista da CNN raptado na Ucrânia
Anton Skiba está há dois dias a ser interrogado pelos separatistas pró-russos. Mais dois repórteres desaparecidos dos arredores de Donetsk
Os russos estão a fugir de Putin
Números não oficiais estimam que três milhões emigraram na última década em busca de melhores condições de vida, mais liberdade e menos corrupção
Gaza: 10 mortos em ataque a escola da ONU
Edifício servia de abrigo a refugiados palestinianos
EM MANCHETE
Ricardo Salgado detido e constituído arguido
Ministério Público confirmou a detenção e envolvimento na operação Monte Branco. Em risco, a destruição de documentos. Ex-presidente do BES estaria a efetuar chamadas encriptadas
«Há mais informação relevante sobre o BES que não foi tornada pública»
Governo recusa comentar detenção de Ricardo Salgado