Médicos e funcionários de um hospital em Puerto La Cruz, a 350 quilómetros a leste de Caracas, içaram na quarta-feira uma bandeira da Cruz Vermelha, para denunciar uma crise na saúde, noticiou a imprensa local.

A bandeira foi içada na entrada do hospital César Rodríguez de Guaraguao e nela pode ler-se a mensagem "SOS saúde".

O vice-presidente da Sociedade Médica local, Pedro Potella, afirmou que 80% das atividades médico-assistenciais do hospital estão paralisadas desde fevereiro último, devido à falta de materiais hospitalares e medicamentos, apesar de o hospital depender do Instituto Venezuelano da Segurança Social.

Segundo o diário venezuelano El Nacional, funcionários da Polícia Nacional Bolivariana impediram, na terça-feira, durante a marcha do Dia do Trabalhador, um grupo de sindicalistas e opositores de se aproximarem da sede da Cruz Vermelha, no centro de Caracas.

O grupo pretendia pedir à Cruz Vermelha que içasse "a bandeira de emergência, para que fossem ativados os protocolos de ajuda humanitária", acrescentou.