As imagens de um jovem a ser despido por um grupo de encapuzados durante os protestos de estudantes na Universidade Central da Venezuela chocaram o mundo e geraram um movimento de solidariedade original nas redes sociais.



Com a hashtag #mejordesnudosque, dezenas de venezuelanos despiram-se e publicaram as imagens no Twitter.

A ideia partiu de um responsável por uma agência publicitária, a título pessoal. «Quando vi o vídeo chocou-me muito e decidi fazer algo», explicou Ricardo Cie à BBC. Juntaram-se-lhe alguns amigos, publicaram as imagens com «tags» para chamar a atenção e geraram um movimento.





Participam cidadãos anónimos e também algumas caras conhecidas, como a atriz Maria Conchita:





As imagens na origem de tudo são da semana passada, quando os estudantes se propunham fazer uma marcha de protesto para contestar o regime de Nicolás Maduro, mas não chegaram a conseguir deixar a universidade, perante a presença das forças policias e destes grupos de paramilitares, alegadamente afetos ao regime e conhecidos como coletivos. A humilhação como a que foi sujeito o jovem despido não será inédita, a diferença é que foi filmada pela primeira vez.

A reitora da UCV, Cecilia García Arocha, pediu ao executivo de Maduro que «segure os seus coletivos». «Faça o que tem de fazer. Não continue com a impunidade», disse, citada pelo «El Mundo».