Cinquenta e seis agentes e sete manifestantes ficaram feridos, esta noite, em Telavive, no segundo dia de protestos contra a violência e a discriminação da comunidade de origem etíope em Israel, informaram fontes policiais.

Durante os violentos confrontos, que tiveram como palco a emblemática praça Rabin, onde se desenrolou uma autêntica batalha campal, foram detidos 43 manifestantes.

A polícia israelita recorreu à força quando milhares de participantes se deslocaram rumo ao edifício municipal e depois de duas horas de manifestação tentaram abrir caminho rumo ao seu interior, de acordo com os ‘media’ locais.